Dengue também pode afetar a visão e requer os cuidados de um oftalmologista

26/fevereiro/2024

Como se não bastasse o mal estar, a febre, a dor de cabeça, a prostração, entre outros sintomas, a dengue, poucas pessoas sabem, também pode afetar a visão. Os oftalmologistas  explicam que a doença pode causar desde hemorragias intraoculares até inflamação do nervo óptico.

Para combater o vírus, nosso sistema imune forma anticorpos que podem se depositar nos vasos sanguíneos do olho, ocasionando obstrução ou hemorragia (derrame).

A dengue pode afetar o segmento posterior dos olhos chamado de retina (camada de células nervosas do fundo do olho que transmite as imagens para o cérebro) provocando sangramentos ou mesmo descolamento. Além disso, a redução do número de plaquetas, comum nos casos de dengue hemorrágica, também pode contribuir para que ocorra hemorragia na superfície do olho, chamada de conjuntiva, ou no interior do globo ocular. “Se afetar o nervo óptico, a dengue provoca uma inflamação chamada de neurite óptica, que pode acometer ambos os olhos, e até levar à perda da visão.

Os problemas oculares são mais frequentes nos casos de dengue hemorrágica, mas é importante que todas as pessoas que tiverem a doença fiquem atentas. “Visão turva, perda de parte da visão, visão distorcida, dor ocular ou vermelhidão são os sintomas mais comuns e esses pacientes devem ser avaliados imediatamente por um oftalmologista”. Já a dor no fundo do olho, queixa comum dos pacientes com dengue, na maioria dos casos não está relacionada com problemas oculares, mas com o quadro clínico da paciente.

Em função dos riscos à visão, é recomendável que todos os pacientes acometidos pela dengue façam o exame de fundo de olho para verificar se há alguma alteração ocular, reforça a oftalmologista.

Principais problemas oculares causados pela dengue:

A queda no número de plaquetas pode contribuir com hemorragias oculares, que podem ocorrer na conjuntiva (membrana mucosa que reveste a parte posterior da pálpebra e se prolonga para recobrir a esclera, parte branca do olho) ou na região intraocular (retina, vítreo ou coroide):

Hemorragia na retina – Podem ocorrer pequenas hemorragias na retina ou sangramentos maiores que podem afetar visão.

Hemorragia intraocular- sangramentos no vítreo (líquido que preenche o globo ocular). Pode ser necessária cirurgia para remoção do sangue.

Hemorragia subconjuntival – A parte branca do olho, chamada conjuntiva, fica congestionada de sangue. A alteração, apesar de esteticamente feia, não é grave, e desaparece em semanas sem uso de medicação.

Oclusão vascular (trombose): ocorre pelo depósito de anticorpos nas paredes internas das artérias e vasos.

Neurite óptica ou inflamação do nervo óptico – O nervo óptico é o responsável pela visão e, quando afetado, resulta na perda parcial ou total dessa percepção. A inflamação danifica a estrutura do nervo óptico impedindo que as informações entre cérebro e globo ocular sejam transmitidas. Com isso, a pessoa não enxerga. A perda ocorre rapidamente afetando um ou ambos os olhos.

 

Compartilhe: